terça-feira, 9 de maio de 2017

O pecado é envolvente

A imagem pode conter: texto, atividades ao ar livre e natureza

Vivemos em um mundo de violência, erros e conflitos... E tudo isto pode ser resumido em uma palavra: pecado. Tozer, servo de Deus do passado, adotou como sua filosofia o fato de que, neste mundo: "tudo está errado, até que Deus endireite". Portanto, a presença do pecado no mundo é perniciosa e pandêmica; daí, o atual estado da civilização, que - mesmo na era das transformações causadas pela alta tecnologia e pela presteza da informação; vive insuperável crise em todos os tipos de relacionamento. O pecado é tão envolvente e sedutor, que suas vítimas nem sequer conseguem aprender com os erros do passado.

Em uma de suas definições teológicas, o pecado é desobediência à Palavra de Deus. Na teologia ele é dividido em dois grupos: pecado por comissão (quando fazemos o que Deus proíbe); e pecado por omissão (quando não fazemos o que Deus ordena). Não é exagero, dizer que o ser humano está enquadrado em ambos os grupos (ele tanto pratica o mal, como deixa de praticar o bem). Ele é a causa de tanta violência e maldade; de tanta dor, física e moral; de tanta devassidão; de tanta desordem familiar. Enfim, as pessoas sofrem tanto deste mal (pecado); porém, se recusam a tomar o remédio (Jesus).

Que Promessa! "Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo. E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade. Mas qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado; nisto conhecemos que estamos nele." (1 João 2.1-5). Que bênção!

Perdi a conta, das vezes que refleti sobre a natureza deste texto da Palavra de Deus: "Porque, quando éreis servos do pecado, estáveis livres da justiça. E que fruto tínheis então das coisas de que agora vos envergonhais? Porque o fim delas é a morte. Mas agora, libertados do pecado, e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna. Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor." (Romanos 6:20-23). Nele, encontramos duas sentenças: uma, de morte eterna (pelo pecado); outra, de vida eterna (por Jesus).

Esta canção de Sérgio Lopes trouxe grande contribuição à doutrina da expiação:
https://youtu.be/whHFNBhx_rU

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário