quarta-feira, 17 de maio de 2017

Não devemos estranhar

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Sempre que retorno à casa, sinto prazer em poder voltar ao meu lugar de oração preferido. E hoje de manhã, ao despertar para o novo dia, enquanto me dirigia à oração da madrugada; fiquei a pensar com os meus botões... Algumas vezes, somos tomados por certo tipo de tristeza, cuja razão e origem não é facilmente encontrada (penso que isto deve acontecer com toda a gente). Na verdade, a vida costuma intercalar alegria e tristeza; pois são experiências necessárias ao nosso amadurecimento. Logo, não devemos estranhar; e sim, tentar conhecer sua causa e razão.

A mesma Palavra de Deus que a todos ensina, que "a alegria do Senhor é a vossa força." (Neemias 8:10); também certifica, que "a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação da qual ninguém se arrepende;" (2 Coríntios 7:10). Logo, ambas as experiências cooperam para nossa edificação; contanto, que nossa alegria seja mesmo "do Senhor" e nossa tristeza seja de fato "segundo Deus". A Bíblia diz que tudo aquilo que fizermos, deve ser para a glória de Deus (1 Coríntios 10.31). Mas isto só é possível se estivermos em Cristo, procurando viver cada dia no Senhor.

Este texto bíblico sempre me reconduziu a uma vida de entrega: "Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz. O que come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come, para o Senhor não come, e dá graças a Deus. Porque nenhum de nós vive para si, e nenhum morre para si.  Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor." (Romanos 14.6-8). Em minha vida cristã eu aprendi, que submissão é preciso!

No culto, Maria Célia fez menção desta canção, que cantamos:
https://youtu.be/4Oh6hhUIpMk

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário